Pontos comerciais alternativos crescem no mercado de franquias

Publicado em 29/01/2019 por Imprensa

Entre 2017 e 2018, esses formatos passaram de 9% para 12%, de acordo com estudo da Associação Brasileira de Franchising (ABF)

Ter uma loja física era o sonho de muitos empreendedores, mas o mercado parece estar se abrindo para novos negócios. Com investimento acessível, modelos como quiosques, unidades móveis, home based e store-in-store (uma franquia dentro de uma loja), estão conquistando os franqueados. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), entre 2017 e 2018, esses formatos passaram de 9% para 12%.

"As redes têm diversificado a sua forma de operar e entrado em universidades e laboratórios de análise crítica, por exemplo. Isso traz resultados não só na taxa de expansão, como também no faturamento", disse Vanessa Bretas, gerente de Inteligência de Mercado da ABF. Mas, mesmo buscando pontos comerciais alternativos, as redes não perdem sua essência, elas adaptam seu modelo de negócio para espaços menores.

Confira três franquias que apostam em novos formatos de negócio:

Ecoville

A microfranquia da Ecoville, primeira franqueadora de lojas de produtos de limpeza do País, é uma excelente opção para quem deseja iniciar o ano sendo dono do próprio negócio. O modelo é composto por uma unidade móvel — aqueles carros de vizinhança, mas com um portfólio de 400 produtos aprovados pela Anvisa — para a realização de venda consultiva de porta em porta.

Para quem deseja ingressar na rede, é necessário o investimento inicial de R$ 65 mil, que inclui taxa de franquia e capital de giro. Há 10 anos, a marca atua no mercado de limpeza e conservação e tem mais de 200 lojas distribuídas por todo o Brasil.

Casa do Construtor

Rede especializada em locações de equipamentos e soluções para o dia a dia, a franquia oferece dois novos modelos de negócios, além da loja tradicional. O + Rental, modelo store-in-store, irá atender a demanda de municípios de até 90 mil habitantes. A abertura de loja dentro de outros estabelecimentos como, por exemplo, uma franquia dentro de uma loja de materiais de construção é indicada para quem já tem negócios ligados à construção civil e deseja complementar o leque de serviços e de rentabilidade.

O investimento é a partir de R$ 250 mil. "As unidades são compactas, medem 12m² (3m x 4m) e, exatamente por isso, conseguimos oferecer um investimento mais modesto, comparado ao valor de uma loja tradicional que é de R$ 555 mil. A nossa grande preocupação foi criar um modelo enxuto sem perder a estrutura de toda a rede", afirma Fábio Spina, Gerente de Operações. "Estamos oferecendo a nossa experiência de 25 anos de mercado na locação de equipamentos. Ter a chancela e a profissionalização dos serviços da Casa do Construtor será o grande diferencial do novo investidor", explica Spina.

JAN-PRO

Rede americana de limpeza corporativa, presente no Brasil há sete anos, tem como grande diferencial o modelo home based de baixo investimento. A partir R$ 20 mil, um investidor pode ter o próprio negócio sem precisar de um espaço físico. "Geralmente a base desse franqueado é na unidade do cliente. Nascemos com esse formato e a cada novo ano, percebemos que negócios que fogem do formato tradicional, são os que mais crescem no País, justamente pela redução de custo", diz Renato Ticoulat.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Casa do Construtor , Franquias store in store , Jan-Pró , Ecoville Produtos de Limpeza