Valem quanto pesam: franquias de investimentos acima de R$ 500 mil faturam alto

Publicado em 07/03/2016 por Imprensa

Três franqueadoras permitem que franqueados se associem para aportar capital e abrir unidades franqueadas, que podem ser geridas por um dos sócios – enquanto os outros apenas investem no negócio

Em janeiro deste ano, Jorge Fernando Pereira de Carvalho e João Luiz Simonatti, franqueados da Água Doce – Sabores do Brasil da Granja Viana (bairro nobre de Cotia, na zona metropolitana de São Paulo), reinauguraram seu restaurante em grande estilo, em um imóvel maior, com capacidade para atender praticamente o dobro de clientes e com investimento arrojado, afinal, eles vêm crescendo 30% em faturamento anualmente e pretendem ampliar este número para 40% em 2016.


A Água Doce de Cotia (foto) está entre as franquias que mais faturam da rede. O investimento em uma casa igual ao dos sócios é alto, chegando a R$ 1 milhão, mas o retorno, apesar de não ter números de faturamento divulgados, é sempre proporcional aos valores investidos e permitiu o reinvestimento na nova casa sem recorrer a financiamentos externos.


“Nosso investimento inicia-se em R$ 500 mil, em cidades menores. O faturamento também é proporcional ao valor investido, com a mesma lucratividade”, informa Júlio Bertolucci, Diretor de Expansão


A Água Doce procura por franqueados operadores – e não investidores que apenas contratem funcionários para cuidar do negócio. “Aceitamos, claro, que sócios componham o capital e ao menos alguns deles operem a unidade franqueada juntos. Isso é importante, inclusive, porque nosso tipo de negócio exige muitas horas de dedicação, trabalho à noite e durante os finais de semana. É fundamental que os franqueados sejam operadores, esse detalhe faz o grande diferencial no desenvolvimento do negócio”, finaliza o Diretor.


Outra franquia que ‘vale quanto pesa’ é a Home & Tech. Especializada em áudio, vídeo e automação de ambientes residenciais e comerciais, a empresa trabalha junto ao mercado de decoração, que sofre pouco com a crise. “Atuamos com público parceiro especificador (arquitetos, designers e decoradores), aos quais sempre destinamos workshops conceituais que reforcem os benefícios das tecnologias de áudio, vídeo e automação aplicados aos seus projetos estruturais e decoração de interiores. Desejamos reforçar o que já se sabe: imóveis equipados com essas tecnologias apresentam maior valor de mercado na hora da venda”, afirma Daniel Broilo, diretor de expansão da marca e sócio da franqueadora.


Estar num showroom da Home & Tech é como fazer uma viagem ao futuro – mas, a um futuro luxuoso. Todos os ambientes do espaço são automatizados e climatizados, a tecnologia e o conforto estão por toda a parte e a beleza está presente em cada detalhe. “Apesar de o franqueado não precisar de estoques, projetar um showroom, que é a franquia em si, exige um investimento compatível com o que é oferecido ao cliente”, enfatiza o diretor.


Na loja Master, de cerca de 130 m2, investem-se entre R$ 535 mil e R$ 725 mil, já incluindo taxa de franquia e capital de giro. Já na loja Compact, a área necessária é de 75 m2 e o investimento gira entre R$ 355 mil e R$ 465 mil. A opção por um ou outro modelo não é apenas do franqueado, mas do mapeamento da expansão, que vislumbra o potencial da localidade onde a unidade franqueada será implantada.


Por fim, a estreante Pequenos Moleques, que atua na área de recreação infantil para shoppings, traz a experiência de três unidades próprias para contar.
Instalados no Recife, os espaços são um sucesso entre as crianças e seus pais. Neles, eles podem passar o tempo em que os pais fazem compras se divertindo em um espaço lúdico e colorido, totalmente diferente das propostas existentes, mas a intenção não é apenas esta. “Nosso propósito é resgatar as brincadeiras infantis, apresentá-las às crianças e permitir que elas brinquem à vontade, até mesmo com a presença dos adultos, que são muito bem-vindos no espaço Pequenos Moleques, diz Ana Leal, criadora do projeto.


A área das unidades Pequenos Moleques comporta, inclusive, festas de aniversário. Com materiais de altíssima qualidade, cenário de tirar o fôlego de tão elaborado e detalhes que surpreendem, o investimento em uma franquia Pequenos Moleques é a partir de R$ 330 mil para uma unidade com 60 m2, chegando a até triplicar para um espaço como os instalados em Recife. O faturamento médio para a franquia de menor porte é de R$ 70 mil a R$ 120 mil, com lucratividade variando entre 20% a 25%, a partir do segundo ano de operação.


“Vale lembrar que nossa franquia se adapta ao boom de expansão dos shoppings e à necessidade de lazer com segurança, conforto e praticidade que só esses estabelecimentos oferecem. Além disso, o modelo de negócios da Pequenos Moleques é original, somos a única franquia nestes moldes a operar no Brasil”, finaliza Ana Paula Mantovam, diretora de expansão da marca.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Franquias de entretenimento , Água Doce , Franquias de restaurantes , Home & Tech , Franquias de automação , Pequenos Moleques