Recém formado larga salário em multinacional para abrir rede fast food

Publicado em 27/04/2016 por Imprensa

Rodrigo Malca é CEO da Youburger, uma rede de lanchonetes com apenas três anos de vida, na qual o cliente monta seu próprio lanche em uma tela touch screen

Aos 24 anos de idade, engenheiro recém formado em uma universidade estadual no Rio de Janeiro e dono de um salário de R$ 5 mil em uma multinacional francesa, Rodrigo Malca decidiu largar tudo para vender hambúrgueres. Pegou R$ 220 mil emprestados, usou outros R$ 30 mil de sua rescisão e colocou a mão na massa ou melhor: na chapa!


Três anos depois, a rede de franquias que criou tem como meta bater a marca de R$ 10 milhões em faturamento em 2016 e chegar ao final do ano com ao menos 20 unidades em operação –já são seis funcionando e mais quatro contratos fechados.


Malca é CEO da Youburger, nascida na cidade de Resende, no Sul do Estado do Rio de Janeiro. O negócio, no entanto, só foi para frente em virtude de uma implicância de Rodrigo com algumas das grandes redes de fast food do país.


“Era realmente algo que me irritava pedir para que tirassem o pickles do lanche e ter que esperar uma eternidade por algo feito sob medida. Sem contar que na maioria das vezes o lanche chegava diferente do que eu pedia”, lembra Rodrigo, que teve como premissa abrir um fast food no qual a liberdade de escolha fosse a tônica do negócio.


O grande diferencial da Youburger é sem dúvida seu formato de operação. Nas lojas da rede não existem lanches padronizados. Cada cliente monta sua combinação em uma tela touchscreen, escolhe a bebida, os acompanhamentos e até mesmo a sobremesa.  O sistema gera um ticket que é pago posteriormente. Outro diferencial é a possibilidade de cadastrar a combinação escolhida no próprio sistema da lanchonete. Caso o consumidor queira o mesmo lanche em uma nova oportunidade, basta digitar seu CPF e pronto!


“O grande segredo na verdade não está do lado de fora. Acho que o nosso maior diferencial foi criar um sistema de produção que tornasse isso viável dentro da cozinha. Nesse sentido o que aprendi na faculdade foi fundamental”, diz Rodrigo, hoje com 27 anos, sobre o projeto baseado na filosofia MTO (make to order ou feito sob encomenda em tradução livre). O modelo é aplicado sobretudo em empresas automobilísticas que fazem carros sob encomenda e também na indústria de aviões.


Em tempos de crise econômica, o investimento em um modelo de produção enxuto e sob medida trouxe impactos práticos ao negócio de Rodrigo. “São quatro funcionários por turno, oito no total. Em redes de fast food concorrentes esse número é o dobro”, analisa o engenheiro, que, com isso, cobra um valor menor de seus clientes para um combo composto de lanche, refrigerante e batata, por exemplo. “Nosso ticket médio é de algo em torno de R$ 15. Bem menor que os R$ 25 ou 30 de outros players do setor”, compara.


Expansão


Em franco processo de crescimento, a Youburger desembarca na cidade de São Paulo ainda no primeiro semestre de 2016. Cidades do interior paulista também vão receber a novidade ainda em 2016.


Para abrir uma unidade da Youburger, o franqueador indica um investimento aproximado de R$ 250 mil. A rede trabalha tanto em operações no shopping Center quanto na rua e o retorno previsto do investimento é de 18 a 24 meses.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Franquias novas , Franquias de fast-food , Franquias no Rio de Janeiro , Youburger