Ex-jornaleiro aproveita crise econômica e monta rede de lojas de tintas

Publicado em 08/01/2019 por Imprensa

Com 15 unidades abertas, empreendedor, após fatalidade na família, viu no segmento de tinta a solução para desenvolver sua carreira

Após trabalhar por alguns anos como jornaleiro no bairro da Liberdade e tentar carreira na área de confecção de tecidos, o empresário Nassim Katri viu em uma perda familiar a necessidade de empreender. E o mercado a ser explorado foi o de tinta, com a criação da rede de lojas de tinta FK Tintas, sigla que representa as iniciais de sua esposa. Pautado por um projeto agressivo de expansão em 2016, a antiga FK avançou dando início a outra ideia: a Pinta Mundi, que hoje fatura R$10 milhões com 15 unidades espalhadas por São Paulo e pela Grande São Paulo.

Aos 18 anos, com o curso de administração iniciado, a trajetória profissional que estava começando a trilhar um caminho foi pausada pela morte do pai. "Com o dever de seguir a vida profissional, precisei buscar alternativas que pudessem me ajudar com o pontapé inicial para meu futuro com a minha esposa. Foi então que meu sogro, que já tinha loja de tintas, me ensinou sobre o negócio".

A primeira loja foi inaugurada em 1991 no bairro da Freguesia do Ó. A segunda unidade foi aberta três anos depois, em 1994, mas a trajetória não foi fácil. Após alguns anos de trabalho, o ponto foi solicitado pelo dono e Nassim viu nessa situação a oportunidade de apostar todas suas fichas em um negócio que se tornaria franquia após alguns anos. Para se levantar do tombo, vendeu o carro que tinha à época e, junto com algumas economias, comprou uma casa velha no bairro da Brasilândia, onde reinaugurou a segunda unidade da antiga FK Tintas.

Com 100% da renda revertida para o negócio, Nassim aproveitou o bom movimento e inaugurou mais duas lojas e comprou de concorrentes outras unidades. Em 2006, chegou ao total de seis lojas próprias.

Crise econômica: Pinta Mundi vira franquia

Em 2016, após passar 10 anos sem novas unidades, no auge da crise econômica, Nassim juntou-se ao seu atual sócio, que tem atuação também no segmento de tecnologia. Após um ano e meio de estudos sobre o mercado, mudanças organizacionais, profissionalização de processos e investimento em infra-estrutura e pessoas, decidiu tornar suas lojas Pinta Mundi em uma rede franqueadora de tintas.

Com apenas 1 ano e meio sob o modelo de franquia, Muki viu sua rede atingir o número de 12 unidades próprias e três unidades franqueadas na capital paulista. A meta agora é atingir o número de 12 franquias até o final do ano de 2019. "O mercado de tintas no Brasil é promissor. Além de ser o terceiro maior do mundo, a imensa maioria dos negócios são lojas independentes ou redes pequenas, de até cinco lojas. Isso se revela uma grande oportunidade para uma gestão moderna e profissional que a Pinta Mundi oferece aos franqueados", conclui Nassim Katri.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias de reparos e reformas , Pinta Mundi