Confiança do empresário do comércio apresenta leve alta de 0,6% em fevereiro

Publicado em 14/03/2016 por Imprensa

Segundo a FecomercioSP, apesar do crescimento mensal, confiança caiu 21,3% no comparativo anual, reforçando o pessimismo do empresariado

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) atingiu 74,9 pontos em fevereiro, um crescimento de 0,6% em relação a janeiro. Por outro lado, na comparação com o mesmo período de 2015, a queda foi de 21,3%. Apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o ICEC varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).


De acordo com a assessoria econômica da Entidade, após ter registrado sucessivas quedas ao longo de 2015, pelo terceiro mês consecutivo o índice permaneceu no patamar dos 74 pontos, reforçando o pessimismo do empresariado - que ainda resiste a retomar uma trajetória de elevação da confiança.


Segundo a pesquisa, os responsáveis pela leve alta do indicador foram os grandes empresários (donos de empresas com mais de 50 funcionários), que elevaram em 10% a sua confiança em relação ao mês anterior, atingindo 82,6 pontos. Já as empresas com até 50 funcionários registraram alta de 0,3% e alcançaram 74,8 pontos.


No entanto, na comparação anual, o resultado se manteve negativo. O índice de confiança para os grandes empresários caiu 18,8%, e para os pequenos empresários, a retração chegou a 21,4%. Para a Federação, não há evidências de recuperação forte nem para grandes nem para pequenas, apesar da trégua na queda da confiança.


Indicadores
O Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC), um dos componentes do indicador, avançou pelo segundo mês consecutivo e, em fevereiro, atingiu 39,5 pontos, alta de 10,9%. Por outro lado, na comparação anual, a queda foi de 36,9%.


Já o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) permaneceu praticamente estável e passou de 113,5 pontos em janeiro para 113,4 pontos em fevereiro.


O único quesito que apresentou queda significativa em fevereiro foi o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC), que mede a propensão dos empresários em relação a novos investimentos. Com retração de 3,5% ante janeiro, atingiu 71,9 pontos. A maior influência partiu do Indicador de Contratação de funcionários (IC), que caiu 11,1% e totalizou 76,2 pontos.


Para a FecomercioSP, a leve alta do indicador em fevereiro proveniente da melhora na percepção das condições atuais e do ajuste na confiança dos grandes empresários pode ser apenas um efeito estatístico pontual e ainda não deve ser encarada como uma reversão do cenário. Segundo a Entidade, o cenário de vendas permanece fragilizado pelas desacelerações da renda e do emprego - aliado a crédito mais caro, custos fixos cada vez mais pressionados e inflação elevada -, que continuam impactando negativamente sobre o já baixo nível de confiança do empresário.


Nota metodológica
O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) contempla as percepções do setor em relação ao seu segmento, à sua empresa e à economia do País. São entrevistas com 600 empresários na capital, em painel fixo de empresas, com amostragem segmentada por setor (não duráveis, semiduráveis e duráveis) e por porte de empresa (até 50 empregados e mais de 50 empregados). As questões agrupadas formam o ICEC, que por sua vez pode ser decomposto em outros subíndices que avaliam as perspectivas futuras, a avaliação atual e as estratégias dos empresários mediante o cenário econômico. A pesquisa é referente ao município de São Paulo, mas sua base amostral reflete o cenário da região metropolitana.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Crise Econômica , Pesquisas , Economia e Mercado