Tributarie lança modelo nano de franquia com investimento inicial de R$ 5 mil

Publicado em 31/07/2017 por Imprensa | Ultima Atualização em 02/08/2017

Rede especializada em compliance tributário e gestão fiscal, com 42 unidades em operação, apresenta novo formato e-Tax

Segundo o Impostômetro, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), em 2016 os brasileiros desembolsaram mais de R$ 2 trilhões em impostos. A constatação de Wander Brugnara, fundador da rede de franquias Tributarie, especializada em compliance e gestão fiscal, é de que boa parte deste montante foi paga indevidamente. Diante da necessidade das empresas de uma avaliação técnica minuciosa sobre o quê, como e quanto pagar em tributos, dadas as constantes mudanças nas regras do setor no País, a Tributarie tornou-se uma rede de franquias referência nacional em compliance de SPED, COFINS, Folha de pagamento, IRPJ, Acordos Trabalhistas, ICMS, IPI, FGTS, Bancário, Transação de Precatórios e outros serviços diversos. 

Há 12 anos consolidada como consultoria e há pouco mais de um ano no segmento de franchising, a marca é um modelo de negócio interessante e de alta rentabilidade. Com 42 unidades de seu formato tradicional em operação, a empresa anuncia o lançamento de uma bandeira enxuta, a e-Tax, também direcionada ao público que quer atuar home based, mas com poder de investimento um pouco menor.

Para ser um franqueado e-Tax é preciso investir R$ 5 mil à vista e R$ 350 de royalties mensais, valor direcionado ao marketing, comunicação externa da unidade e ações que auxiliam o investidor na prospecção de novos clientes, enquanto a franqueadora assume todo o operacional do negócio. Desta forma, o franqueado e-Tax recebe 50% dos honorários (metade do valor do contrato fechado com o cliente), podendo chegar a faturar R$ 20 mil em um período de 30 dias. Além do valor de investimento inicial, o que diferencia o formato Franquia Tributarie da Franquia e-Tax é o portfólio de produtos que podem ser oferecidos aos clientes. Dos mais de 30 serviços que são ofertados pelo franqueado padrão, o nano pode trabalhar apenas com cinco deles, sendo a maioria deles voltados para empresas que estão no regime de tributação do Simples Nacional, onde se encontram  mais de 80% das empresas no Brasil. O grande diferencial da Rede Tributarie, independentemente do modelo de franquia, é que o investidor não precisa ser profundo conhecedor da área tributária e fiscal, mas ter tino empreendedor.

“O franqueado tem a importante missão de identificar potenciais clientes, empresas que necessitem de gestão fiscal e parametrização de sistemas que auxiliem na adequação às novas regras tributárias brasileiras”, explica Brugnara. Segundo o empresário, a rede continuará apostando fortemente na expansão do modelo padrão Tributarie, em que o franqueado investe R$ 40 mil, sendo R$ 9 mil à vista e os demais R$ 31 mil parcelados e descontados em até 25% do faturamento mensal. A receita/mês desta bandeira chega a R$ 40 mil. O formato também exige royalties mensais de R$ 1,8 mil e o tempo de retorno do investimento pode acontecer já no quarto ou quinto mês de operação.

Ainda como parte de seu plano comercial, a Tributarie criou para não franqueados categorias de parceiros que também oferecem oportunidades de ganhos atrativos. A primeira delas é o Indicador, pessoas físicas e jurídicas que não têm nenhum vínculo com a marca, mas possuem potencial de networking. Não há custos, nem royalties e funciona à base de indicação de clientes para os serviços da rede. Esse perfil pode chegar a faturar R$ 5 mil ao mês. Outra categoria é a de Gerente de Contas. Comercialmente ativo, tem direito a 20% sobre o valor total dos contratos fechados. Mesmo podendo faturar até R$ 10 mil, é possível manter uma atividade paralela. Por último, a Tributarie busca Licenciados, que não abrange somente pessoas físicas, mas, em especial, escritórios de advogados e de contabilidade. Com 35% de participação nos contratos assinados, entra com investimento de R$ 500 mensais. Uma das exigências da rede nesta categoria é o vínculo com a marca, portanto, o escritório deve incorporar a Tributarie em sua fachada. O faturamento, neste caso, pode alcançar o valor mensal de R$ 30 mil.

Wander Brugnara destaca, por fim, que a Tributarie, por dispor de modelos de microfranquias, garante um modelo de negócio maduro e altamente rentável, em especial, diante do cenário Brasil, em que ocorrem alterações quase que diárias nas regras e legislação tributária e fiscal. “Devido ao modelo inovador, ótimo custo-benefício e potencial de mercado, crescemos rápido e esperamos com isso, pelo menos, dez novas unidades até o final de 2017”, diz. Nos últimos cinco anos, a empresa chegou a auditar mais de 1.500 empresas. A rede Tributarie faturou R$ 10 milhões em 2016 e espera atingir receita de R$ 12,5 milhões até o final deste ano.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquia , Franquias de serviços , Microfranquias , Franquias de baixo investimento , Tributarie