Blindado contra a crise: porque investir em franquia de comida delivery em 2016 é opção segura

Publicado em 23/02/2016 por Imprensa

Popularização de aplicativos para pedir refeições e a crise econômica são dois fatores que impactaram positivamente o mercado de alimentação delivery.

Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor de franquias registrou crescimento de 8,3%, mesmo em um ano difícil para a economia. Entre os segmentos que se destacaram está o de alimentação, que fechou o ano de 2015 com crescimento de 8,9%.


Apesar de a crise ter influenciado para que os brasileiros evitassem ir a restaurantes e conseqüentemente gerasse uma queda brusca no faturamento dos estabelecimentos, marcas que atendem via sistema delivery conseguiram se manter e ainda registrar um salto no número de pedidos. Um dos aplicativos mais usados para pedir comida pela internet, por exemplo, teve um crescimento de mais de 300% no total de pedidos em 2015.


Um dos restaurantes que sentiu na prática como esse tipo de serviço está em alta no país é a rede que comercializa comida típica mineira via box, a Mineiro Delivery. Fundada em São José do Rio Preto (SP) em 2012, a empresa atende apenas por delivery, sendo que na unidade própria chegam a ser vendidos 200 boxes por dia. “O grande diferencial de trabalhar apenas com o sistema delivery é que o investimento é mais em conta se comparado a um modelo de restaurante tradicional, não é necessário se instalar em uma região movimentada ou conhecida, o que permite que o franqueado economize com aluguel”, afirma um dos sócios, Dhionatan Paulino.


Obrigado crise!


Um dos fatores que impulsionou esse tipo de serviço no Brasil foi a crise e a necessidade das pessoas economizarem com tarefas cotidianas e prazerosas. “Hoje a grande maioria procura pedir a refeição em casa por vários fatores, que vai desde segurança até evitar gastos com estacionamento, bebidas muito caras e até serviço de mesa”, ressalta Paulino. Outro fator importante para quem tem interesse em investir no setor de alimentação delivery é priorizar marcas já consagradas no ramo e evitar começar o negócio do zero.


“Quando se investe em uma marca já conhecida, o franqueado acaba não correndo riscos, já que o negócio já foi testado e conta com anos de experiência no ramo, o que faz com que as chances do futuro empresário ter prejuízos serem mínimas”, explica. Além disso, a popularização dos aplicativos de celulares que permitem que o cliente realize pedido através do aparelho reforça ainda mais como o setor delivery segue forte e promissor em 2016.


Segundo a Nielsen Ibope, o número de brasileiros usando smartphones chegou a 76,1 milhões no terceiro trimestre de 2015, registrando crescimento de 48% na comparação com o mesmo período de 2014. “O celular se tornou algo fundamental para realizar qualquer tarefa do dia a dia, seja pagar uma conta ou pedir uma refeição, então a tendência é que cada vez mais as pessoas recorram aos aplicativos para diferentes finalidades”, diz Paulino.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias, Franquias de alimentação , Franquias de delivery, Mineiro Delivery