Abrindo o portal e também o jogo. As contradições que encontramos no setor de franquias.

Publicado em 08/01/2014 por mapadasfranquias

Junto com a Karla fundei a duopo em 2010, com o objetivo de assessorar pequenas e médias empresas nos campos jurídico e de marketing. Eu trataria do marketing e ela do jurídico. Como qualquer empresário no Brasil constatamos as dificuldades e os benefícios de liderar uma empresa, desde o nascimento da ideia até a venda do primeiro projeto, passando pelos difíceis planejamentos e entraves burocráticos.


Logo nas primeiras semanas de atuação percebemos que poderíamos atuar com franquias, já que temos conhecimento em duas áreas bastante requisitadas pelo setor: marketing intelligence e análise de contratos. Temos experiência, enquanto profissionais e não como empresárias - de mais de 15 anos de mercado - e acreditávamos que podíamos assessorar franqueados e franqueadores a entender o mercado e os contratos que envolvem a operação.  Continuamos acreditando nisso e, por isso, surgiu o mapa das franquias.


Tínhamos dois grandes desafios dentro de um grande projeto. O primeiro era divulgar o geomarketing, um dos principais serviços de marketing intelligence atualmente. Nome complicado, difícil de explicar, de mostrar as vantagens, de sair do campo intangível, e de vender. O segundo era mostrar a realidade do próprio mercado de franquias. Um setor com muitas expectativas, muitos sonhos e muita informação desencontrada. Digo isso com conhecimento de causa. Explico.


Temos números de marcas e lojas divulgados pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). Temos também números estimados pelas consultorias que trabalham no setor, e ainda números divulgados por publicações, especializadas ou não, que se interessam em divulgar dados e novidades e, assim, arrematar leitores e interessados pelo assunto, que são muitos. Muitos mesmo. Basta visitar a ABF Franchising Expo em São Paulo para ter ideia de quanta gente investe, depende ou apenas nutre alguma curiosidade sobre o mercado de franquias.


A parte complicada e chata disso tudo é que esses números não batem. A conta nunca fecha. Para dar uma ideia do tamanho da encrenca temos, de um lado, a previsão da ABF: existem  104 mil franquias em 2013 no Brasil. E a da revista Veja (“Franquia, os segredos do negócio”. edição 2338 – ano 46 – nº 37): 190 mil lojas filiadas a franquias no Brasil.


Falando em marcas, se não considerarmos as grandes que investem em branding e que todo o Brasil conhece, constatamos uma grande dança das cadeiras e um movimento enorme para o mesmo lado, contrário ao tal oceano azul. Exemplos temos a mostra, como a moda dos buffets, das empadinhas, dos sorvetes de iogurte, das hamburguerias, das pizzarias...


Existe mercado para muita gente e para boas ideias, mas tem muito mercado saturado, principalmente nas grandes cidades. Então por que ninguém fala sobre isso?


Quando decidimos investir no mapa das franquias nos deparamos com essas contradições do mercado e sentimos na pele a dificuldade de conseguir dados reais, confiáveis o bastante para divulgar e trazer benefícios concretos para nossos clientes. Afinal, somos profissionais das áreas de marketing e jurídica, e nossa função é justamente a de calcular as chances de sucesso e os riscos envolvidos nas operações. De que adiantaria replicarmos as contradições existentes? Fomos à luta e iniciamos uma busca incessante por números, através de sites, ligações telefônicas, confirmações in loco e muito, muito trabalho.


No início pensamos que as próprias marcas nos ajudariam, passando os endereços de suas lojas. Mas um portal desconhecido, fora do ar na ocasião, não foi um argumento relevante e não gerou ação alguma por parte dos franqueadores. A informação pode ser estratégica, pensamos (apesar de ser divulgada nos respectivos sites). Coletávamos as lojas uma a uma, em um incansável “copy paste”, mas algumas já não existiam mais. Os dados divulgados pelas próprias marcas no site da ABF também estavam desatualizados.


Não podemos e não queremos acreditar que a divulgação desses números tão contraditórios seja interessante para o mercado e para quem participa dele. Afinal, sabemos que muitos franqueados investem o dinheiro economizado de uma vida toda no sonho do negócio próprio. Continuamos, mesmo achando que o trabalho não teria fim. Estipulamos uma meta e aqui estamos, abrindo o portal com parte relevante do mercado, pelo menos se considerarmos os dados da ABF.


Para passar números reais e abrir o jogo contamos com uma equipe mais que competente. Uma equipe engajada, interessada e responsável. Torno aqui meu agradecimento oficial a todos que acreditaram no projeto e que trabaharam duro para ele acontecer. Agora entramos na segunda fase:convidamos você a participar.


Fizemos nossa parte e contribuimos com uma boa parcela de realidade. Você encontrará no portal aproximadamente 1.200 marcas e 30 mil franquias. Digo aproximadamente porque o portal é colaborativo e atualizado a qualquer momento por quem quiser participar e trazer a verdade aos que são do setor e aos que pretendem entrar, investir e trabalhar por ele.


No Portal será possível visualizar tudo sobre o mercado de franquias em um mapa e entender como isso facilita e ajuda a decidir sobre onde investir. Com isso esperamos ter alcançado parte dos objetivos: materializar o geomarketing e iniciar a jornada em busca do tamanho do mercado de franchising brasileiro.


Acreditamos no trabalho em equipe e sua ajuda é fundamental. Vamos descobrir juntos a importância e o tamanho deste setor que envolve tanta gente. Aproveite, o portal é feito para você, e por você. Queremos você no mapa!


 


 


Adriana Vizzone, sócia-fundadora da duopo assessoria empresarial e do portal mapa das franquias.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

MATÉRIAS RELACIONADAS