Setor de serviços paulista cria 31.076 empregos formais em março, aponta FecomercioSP

Publicado em 04/06/2018 por Imprensa

Segundo a Entidade, setor encerrou o mês com um estoque ativo de 7.380.867 empregos celetistas, o maior patamar desde setembro de 2016

Em março, o setor de serviços no Estado de São Paulo abriu 31.076 postos de trabalho, resultado de 212.694 admissões e 181.618 desligamentos. Trata-se do terceiro saldo positivo consecutivo de empregos, e, com isso, o setor encerrou o mês com um estoque ativo de 7.380.867 empregos celetistas, crescimento de 0,8% em relação ao mesmo período de 2017, o maior patamar desde setembro de 2016.

Os dados compõem a Pesquisa de Emprego no Setor de Serviços do Estado de São Paulo (PESP Serviços), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base nos dados do Ministério do Trabalho por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e o impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, calculado por meio da Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Entre as 12 atividades pesquisadas, oito apontaram aumento do estoque de empregados em relação a março de 2017, com destaque para as atividades médicas, odontológicas e serviços sociais (2,6%); e profissionais científicas e técnicas (2,3%). Por outro lado, destacaram-se negativamente os segmentos de outras atividades de serviços (-1%); e administração pública, defesa e seguridade social (-0,2%).

No saldo acumulado em 12 meses, o desempenho do setor é positivo, com mais de 58 mil novas vagas. Pouco mais de um terço dessa criação de vagas ficou concentrada nos serviços médicos, odontológicos e sociais, com 20.121 empregos formais, seguido pelo grupo de serviços administrativos e complementares, com 19.990 novos vínculos celetistas.

Segundo a FecomercioSP, os números do mercado de trabalho no setor de serviços são positivos no primeiro trimestre em virtude da sazonalidade já conhecida, algo que só não ocorreu em 2016, ápice da crise econômica. A expectativa da Entidade é que, em 2018, o mercado retome a um patamar semelhante aos anos pré-recessão.

Para a assessoria econômica da Federação, ainda que se diminua o ritmo da geração de vagas nos próximos meses, a tendência de recuperação é consolidada após mais de 230 mil vagas formais perdidas nos serviços paulistas em 2015 e 2016.

Capital paulista

O setor de serviços na cidade de São Paulo também apresentou saldo positivo em março, com a geração de 13.136 novos empregos, resultado de 94.637 admissões contra 81.501 desligamentos. No acumulado dos últimos 12 meses, o saldo é positivo em 33 mil vagas empregos, o que representa um aumento de 1% do estoque total de trabalhadores na comparação anual, que atingiu 3.507.864 empregados.

Dez das 12 atividades analisadas registraram aumento do estoque de vagas celetistas em relação a março de 2017. Os maiores saldos positivos foram vistos nos grupos de atividades profissionais, científicas e técnicas (2,8%) e imobiliárias (2,4%). Os destaques negativos do comparativo anual ficam por conta de outros serviços (-1,2%) e transporte e armazenagem (-0,3%).

Nota metodológica

A Pesquisa de Emprego no Setor de Serviços do Estado de São Paulo (PESP Serviços) analisa o nível de emprego do setor de serviços. O campo de atuação está estratificado em 16 regiões do Estado de São Paulo e 12 atividades: transporte e armazenagem; alojamento e alimentação; informação e comunicação; financeiras e de seguros; imobiliárias; profissionais, científicas e técnicas; administrativas e serviços complementares; administração pública, defesa e seguridade social; educação; médicos, odontológicos e serviços sociais; artes, cultura e esportes e outras atividades de serviços. As informações são extraídas dos registros do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e o impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Economia e Mercado