Parcela de consumidores que pretende comprar algum produto parcelado cresce em novembro

Publicado em 06/12/2018 por Imprensa

Segundo a FecomercioSP, o indicador também apontou que 33,8% dos paulistanos endividados declararam ter reserva financeira

A parcela de paulistanos que pretende comprar algum produto financiado ou parcelado subiu em novembro. É o que aponta o Índice de Intenção de Financiamento, um dos componentes da Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE), elaborada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

O indicador registrou alta de 6,6%, ao passar de 43,8 pontos em outubro para 46,8 pontos em novembro. Isso significa que 22,6% dos paulistanos declararam ter a intenção de comprar um produto com pagamento parcelado ou financiado nos próximos três meses.

A PRIE também apontou que 33,8% dos paulistanos endividados declararam ter reserva financeira em novembro, ou seja, diante de um imprevisto no orçamento familiar, esses consumidores teriam condições de pagar, pelo menos, parte das dívidas. O índice de segurança de crédito dos endividados subiu 16,4%, passando de 58,2 pontos em outubro para 67,7 pontos em novembro.

O índice geral obteve alta de 6,5%, de 77,2 pontos em outubro para 82,2 pontos em novembro. Em contrapartida, a segurança de crédito dos não endividados sofreu queda de 3,9%.       

De acordo com a FecomercioSP, a intenção de financiamento tem correlação direta com a expectativa profissional, e essa variável tende a melhorar  à medida que novo governo apresente as suas propostas e diretrizes sobre a política econômica. A Entidade lembra que o mercado financeiro tem preferência por determinadas políticas econômicas, e não especificamente por políticos.

A Federação ainda ressalta que a PRIE mostrou sinais positivos em novembro. Com relação à segurança de crédito, o indicador é, de forma geral, volátil. Contudo, também obteve ganho neste mês, visto o aumento da proporção de pessoas que dizem ter algum tipo de reserva aplicada.

Aplicações

A poupança segue como a modalidade de aplicação preferida dos paulistanos – em novembro, 57,9% escolheram essa opção de investimento. A preferência pela renda fixa passou de 23,3% em outubro para 21,8% em novembro. A renda variável subiu para 4,2% em novembro, ante os 3,9% que haviam sido registrados em outubro.

Sobre a PRIE

A Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE), apurada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), tem o objetivo de acompanhar o interesse dos paulistanos em contrair crédito e a evolução da proporção de famílias endividadas na capital paulista que possuam aplicações financeiras, gerando um índice de risco inerente a essas operações. Os dados que compõem a PRIE são coletados em 2,2 mil entrevistas mensais realizadas na cidade de São Paulo.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Economia e Mercado