Confiança do empresário do comércio paulistano tem alta de 3% em fevereiro, aponta FecomercioSP

Publicado em 07/03/2019 por Imprensa

Segundo a Entidade, as melhorias nas variáveis econômicas, como recuperação do emprego e aumento do consumo das famílias têm influenciado a volta ao crédito

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio no Município de São Paulo (ICEC) segue trajetória de alta e avança pelo sexto mês consecutivo. A elevação foi de 3%, ao passar de 119,2 pontos em janeiro para 122,7 pontos em fevereiro. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o índice também apontou crescimento (7,1%).

Apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o ICEC varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

Na análise por porte, as empresas com até 50 empregados registraram alta de 3% – 118,8 pontos em janeiro para 122,4 pontos em fevereiro. As empresas com mais de 50 empregados também apontaram crescimento de 1,7%: de 136,1 pontos em janeiro para 138,4 pontos em fevereiro.

Indicadores

Dos três quesitos que integram o indicador, dois avançaram na passagem de janeiro para fevereiro. O ICAEC (Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio) obteve sua sexta alta consecutiva (9,4%) – de 90,9 pontos em janeiro para 99,5 pontos em fevereiro. Na comparação anual, a elevação foi de 6,1%. O IEEC (Índice de Expectativa do Empresário do Comércio) também apontou seis altas consecutivas, 1,7% neste mês, passando de 164,6 pontos em janeiro para 167,4 pontos em fevereiro. Em relação ao mesmo período do ano passado, subiu 9,1%.

Por outro lado, o IIEC (Índice de Investimento do Empresário do Comércio), que mede a propensão dos empresários por novos investimentos, sofreu leve queda de 0,8% – 102,1 pontos em janeiro para 101,3 pontos em fevereiro. Contudo, registrou aumento de 5% na comparação com o mesmo mês de 2018.

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, apesar de cautelosos em relação aos investimentos, pois ainda aguardam definições sobre os próximos passos políticos, os empresários permanecem confiantes em relação ao presente e ao futuro. Além disso, as melhorias nas variáveis econômicas, como recuperação do emprego e aumento do consumo das famílias têm influenciado a volta ao crédito e, consequentemente, a expansão do comércio.

Segundo a Federação, a expectativa para os próximos meses é que, com o encaminhamento da Reforma da Previdência, seguido da aprovação, haverá ajuste das contas públicas e melhora na economia, mantendo a confiança do empresário em alta.

Nota metodológica

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) contempla as percepções do setor em relação ao seu segmento, à sua empresa e à economia do País. São entrevistas feitas em painel fixo de empresas, com amostragem segmentada por setor (não duráveis, semiduráveis e duráveis) e por porte de empresa (até 50 empregados e mais de 50 empregados). As questões agrupadas formam o ICEC, que por sua vez pode ser decomposto em outros subíndices que avaliam as perspectivas futuras, a avaliação presente e as estratégias dos empresários mediante o cenário econômico. A pesquisa é referente ao município de São Paulo, mas sua base amostral reflete o cenário da região metropolitana.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Economia e Mercado