Usar o manual de operação ou ligar para o franqueador?

Publicado em 10/11/2014 por Bruna Santos de Souza | Ultima Atualização em 05/12/2014

Empresária afirmou que quando a dúvida surge ela procura a franqueadora, pois assim a resposta e a solução para o problema surgem mais rapidamente.

Usar o manual de operação ou ligar para o franqueador. Dependo da dúvida e dos procedimentos o ideal é procurar ajuda com o franqueador ou com os gerentes responsáveis pela marca. É o que indica especialistas da área e é exatamente o que faz a empresária Rosane Terragno, franqueada da marca de cosméticos Yes!. Mas afinal, qual a utilidade do manual de operação e dos outros existentes? 


Conforme artigo do Sebrae, os manuais servem para orientar a operação e gestão de uma franquia, sendo utilizados nos treinamentos das equipes das franqueadoras, do franqueado e de seus funcionários. Há uma variedade de manuais que podem ser criados pela rede de franchising, porém o número e detalhamento de informações dependerá do porte da franquia e do modelo de negócio formatado ou em formatação. Entre os principais manuais desenvolvidos pelas empresas estão: implantação da franquia; operacional; manual de marketing e vendas; administração e controle; e identidade visual. 


O mais comum e que geralmente é consultado desde o começo do empreendimento é o manual operacional, pois este faz parte do treinamento do futuro franqueado e assim se segue durante boa parte da vida no negócio. Nele estão retratadas as principais rotinas numa sequência lógica de atividades. Muitos, dependendo do setor de atuação da marca, trazem métodos de produção, tempos, padrões de execuções, especificações técnicas, instalação e manuseios de equipamento, embalagens, requisitos de produtos, dentre outros. Além destes dados, o manual de operação poderá conter informações sobre gestão ambiental, além de regras legais para o exercício das atividades de uma franquia. 


No mesmo artigo, o Sebrae lembra que os manuais devem ser frequentemente atualizados e disponibilizados para os franqueados, através de um site ou canal que ligue o empreendedor a administração da marca, visto que o mercado está sempre mudando. 


O especialista Alan Roque, em artigo no site Administradores, lembrou que é muito importante que o fraqueador mantenha sempre o contato com o franqueado, já que assim acontece a troca de experiências entre as duas pontas responsáveis pelo sucesso da marca. Para Roque, os dados sobre a rede de franquias devem ir além das visitas de consultores e das informações dispostas e sites e manuais. “É importante realizar pelo menos uma vez ao ano reuniões com todos os franqueados”, destacou. 


A empreendedora Rosane Terragno, da loja Território da Beleza - Yes Cosmétics, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, explicou que apesar de ter o manual operacional da rede, quando a dúvida surge ela liga para a Yes, pois através da Universidade Yes, canal que a marca utiliza para informar os empresários, ela obtém as respostas mais rápidas e com isso as soluções mais acertadas. A loja que completou cinco meses de vida vem conquistando cada vez mais clientes. 


Rosane contou que a Yes possuí um modelo pronto de negócio, mas que ela não segue a risca, porque a marca ainda é pouco conhecida na região e com isso esbarra na forte cultura local, que influencia na comercialização de novos produtos. “Estou tentando divulgar a marca aqui no Sul. Faço muitos eventos e parceria com blogueiras. Eles não concordam com meu método, mas o bairrismo atrapalha um pouco, e com estes eventos consigo atrair mais consumidores”. 


O artigo do Sebrae sobre a importância dos manuais pode ser acessado através deste link: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/A-import%C3%A2ncia-dos-manuais-para-as-redes-de-franquias 


Clique aqui para receber mais informações:  http://www.mapadasfranquias.com.br/registro/newsletter

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Yes Cosmetics , Território da Beleza , SEBRAE , Manual de operação , Manuais de franquias , Jurídico