EBIT|Nielsen: quinta-feira pré black friday cresce 42% e fatura R$ 608,7 milhões

Publicado em 23/11/2018 por Imprensa

Em apenas uma hora, o registro de vendas já havia batido recorde de 2017

A quinta-feira (22), pré Black Friday, obteve recorde de faturamento com relação aos registros do ano passado. Apenas entre às 19h e 20h de ontem, segundo dados da Ebit|Nielsen, o e-commerce já havia faturado R$ 435,4 milhões, número maior que as 24 horas da quinta-feira de 2017, no qual chegou a R$ 428,5 milhões. No total, foram R$ 608,7 milhões de faturamento, alta de 42%, e 1,18 milhões de pedidos, o que indica crescimento de 33%. O tíquete médio desta quinta-feira, por sua vez, cresceu 6% chegando a R$ 515.

Somados o dia 22 às primeiras sete horas desta sexta-feira (23), o faturamento já é equivalente a 44% (R$992,4 milhões) do que foi registrado em toda a Black Friday do ano passado. Em 2017, a quinta e a sexta-feira atingiram a marca de R$ 2,1 bilhões de faturamento. “Os resultados parciais são muito animadores, mas ainda tem um longo caminho a percorrer para bater o número do ano passado. A nossa expectativa é de crescimento 15% na Black Friday deste ano. Neste ritmo, a previsão é que o pico de pedidos deva ser atingido hoje até às 15h”, comenta a líder comercial para Ebit|Nielsen, Ana Szasz.

No dia 22, o consumidor preferiu começar aos poucos e comprando produtos de menor valor agregado, o que indicou tíquete médio de R$ 343 às 6h. Durante o dia, o número foi crescendo conforme divulgação das ofertas de produtos como “Eletrodomésticos”, “Eletrônicos” e “Celulares” que fizeram o tíquete médio subir para R$537 às 12hs e para R$ 638 às 22hs. O dia se encerrou na média de R$ 515, que se dá uma variação nominal de 6% em relação a 2017.

Já nas primeiras sete horas desta sexta, o tíquete médio se manteve acima de R$ 770. Nas compras mobile, o pico de vendas foi registrado entre 6h e 7h. De acordo com Ana Szasz, o consumidor estava ansioso e não quis esperar até o final do dia para fazer as primeiras compras. “O varejo também seguiu esse comportamento. Alguns varejistas fizeram um esquenta no período da tarde de ontem e viraram suas homes a noite, dando início as suas promoções de Black Friday”, disse.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Economia e Mercado