São Paulo completa 464 anos em ritmo de retomada da atividade econômica

Publicado em 24/01/2018 por Imprensa

Segundo a FecomercioSP, comércio varejista da cidade deve faturar R$ 224 bilhões em 2018, em torno de R$ 7,1 mil por segundo

No dia 25 de janeiro, a cidade de São Paulo completa 464 anos com uma nova perspectiva de retomada da economia. Responsável por 11% do Produto Interno Bruto (PIB) do País e 34% do Estado de São Paulo, com R$ 651 bilhões, segundo dados de 2015 do IBGE, a cidade segue como a economia mais importante do Brasil.

A trajetória positiva dos indicadores produzidos mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) reforçam essa expectativa otimista de que a crise ficou para trás. De acordo com a projeção da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV) da Entidade, as vendas do comércio varejista paulistano devem crescer 3,6% neste ano, atingindo R$ 224 bilhões, aproximadamente R$ 7,1 mil por segundo.

Segundo cálculos da Federação, na conversão para o dólar referente ao ano de 2015 (R$ 3,34 para cada dólar, segundo o Banco Central) o PIB paulistano chega aos US$ 194,9 bilhões, ou seja, se São Paulo fosse um país, posicionaria-se como a 49ª maior economia do mundo, equivalente ao tamanho da Grécia. Essa posição só não é melhor dada a forte desvalorização do real diante do dólar ao longo de 2014 e 2015, de pouco mais de 40%.

Vale ressaltar ainda que o PIB da capital paulista é duas vezes maior do que a segunda colocada, o Rio de Janeiro (R$ 320 bilhões) e é apenas R$ 9 bilhões inferior ao do Estado fluminense (R$ 659,1 bilhões). Além disso, o PIB de São Paulo corresponde a 109% da soma de todas as capitais dos Estados das regiões Norte, Nordeste e Sul.

Serviços e turismo

Segundo projeções feitas com base nos dados da Pesquisa Conjuntural do Setor de Serviços (PCSS), da FecomercioSP, o faturamento do setor de serviços deve crescer 6% em 2017 e 11% em 2018, alcançando R$ 316 bilhões e interrompendo uma série de duas retrações consecutivas.

O turismo é outro segmento relevante para cidade e emprega diretamente 111 mil trabalhadores celetistas. Segundo dados da São Paulo Turismo, a cidade recebe cerca de 15 milhões de turistas, sendo 85% nacionais e 15% de outros países. A movimentação financeira desses turistas é de quase R$ 12 bilhões. A taxa de ocupação dos hotéis em São Paulo ao longo de 2017 é outro dado que indica a recuperação da economia da cidade, pois entre janeiro e novembro foi de 65,5%, o melhor desempenho para o período desde 2013, quando a taxa era de 66,9%.

Assim, para a FecomercioSP, a celebração dos 464 anos da cidade marca o início de um novo ciclo de crescimento econômico, que trará mais emprego, renda e bem-estar para os paulistanos.

Outros números

A Federação destaca ainda algumas curiosidades sobre a grandeza da economia paulistana. O PIB da capital equivale, por exemplo, a 682 milhões de salários mínimos de 2018 (R$ 954). Representa também a soma de 2.121 prêmios da Mega-Sena da Virada (R$ 306,7 milhões), 764 vezes o valor da negociação do passe do jogador Neymar (222 milhões de euros, aproximadamente R$ 851 milhões) e 1.587 vezes o montante de recursos movimentado no Réveillon da Paulista (R$ 410 milhões).

Homenagem ao comércio paulistano

Para a presidente do Conselho de Turismo da FecomercioSP, Dra. Mariana Aldrigui, "a combinação de dedicação e criatividade típica do empreendedor paulistano é determinante para a superação das crises que se apresentam, e também para a redefinição dos espaços e vocações dos diferentes bairros e regiões. Os tradicionais espaços comerciais compõem diferentes experiências para os nossos visitantes e turistas, que para cá se dirigem em busca das vantagens e inovações que só essa 'imenCidade' oferece". Dessa forma, a presidente do conselho ressalta que o paulistano conhece os segredos e aos poucos vai permitindo que os visitantes também se apaixonem por São Paulo.

Para comemorar o aniversário da capital paulista, a FecomercioSP lançou um compilado de vídeos produzidos em diversas regiões importantes para o comércio de São Paulo.

O trabalho foi iniciado em 2017, com a Campanha SP 463, que homenageou no período os clusters comerciais da cidade, tais como feira do Pacaembu; Galeria do Rock; Largo 13 de Maio; e as ruas Consolação, 25 de março, Teodoro Sampaio, José Paulino, Oscar Freire, do Gasômetro, Augusta e Alameda Gabriel Monteiro da Silva, além do Ceagesp. 

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Eventos , Economia e Mercado