SALADENHA: A FRANQUIA QUE VIU NA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL UM CONVITE PARA O SUCESSO

Publicado em 26/09/2017 por Imprensa

Empresa quer expandir para o território brasileiro, chegando a 80 lojas em cinco anos, além de internacionalizar a rede

Muitas vezes o caminho pelo mundo das franquias não é exatamente linear. Embora seja senso comum acreditar que, uma vez neste segmento, tudo será confortável, tendo em vista a estabilidade desse investimento; as coisas nem sempre são assim. Que o diga Renato Flora, sócio e diretor da Saladenha, rede de franquias de alimentação saudável criada em 2015. 

Hoje a rede conta com três lojas em operação nas cidades de Itu e Indaiatuba, no interior de São Paulo, e outras duas em processo de implantação, uma no Itaim Bibi e outra nos Jardins, ambas na capital paulista, mas para chegar no sucesso atual, Flora enfrentou alguns obstáculos. 

De franqueado a franqueador

A história da Saladenha não começa com Renato Flora. Na verdade, começa bem antes. O fundador da empresa iniciou o negócio operando como um delivery de saladas no pote e, após receber um aporte financeiro de um investidor anjo, decidiu replicar o negócio através do franchising. Flora foi o primeiro franqueado da rede, inaugurando uma loja na cidade de Itu, mas meses depois já sentia dificuldade de operar no azul e manter o negócio de acordo com o que tinham lhe vendido. 

O executivo decidiu, então, pedir a rescisão do contrato com rede e, devido ao alto investimento que já tinha feito, continuar operando a loja com outra bandeira. O fato é que, enquanto estava no processo de criação da nova empresa, Flora descobriu que a sociedade da Saladenha estava em processo de dissolução e resolveu fazer uma proposta de compra da marca, que foi aceita. 

Formatação da nova rede

Flora enxergou que a Saladenha tinha potencial e continuou tocando o negócio, mas, desta vez, sem seguir os critérios da franqueadora anterior. Ao contrário da primeira experiência, o empreendedor sentiu que o negócio era mesmo rentável, desde que fosse gerenciado de outra maneira. Para isso contou com um time engajado na reconstrução da marca, entre eles, sua esposa, Kelly Flora, nutricionista responsável pelo desenvolvimento de todos os produtos da Saladenha e também da loja. 

O sucesso da primeira loja fez que com, após 10 meses, Flora inaugurasse a segunda unidade. A cidade escolhida foi Indaiatuba, também no interior paulista. Com as duas lojas sendo devidamente testadas e aprovadas, Flora sentiu que era o momento da expansão e, para evitar qualquer problema similar ao que havia passado, optou pela contratação de uma consultoria especializada em gestão estratégica de varejo, a Franchise Solutions. 

Foram 9 meses até a finalização de um projeto aprofundado de gerenciamento, que incluiu a formatação completa do modelo de franquia, com processos administrativos e de equipe, adequação de mix, novos produtos e a criação de indicadores de desempenho para operação de loja. Nascia, então, a nova franquia Saladenha. 

Proposta de valor

A ideia de aliar praticidade e alimentação saudável pode soar até paradoxal para alguns, mas não para a Saladenha. Um dos pilares da rede é que comida rápida não precisa ser sinônimo de alimentos industrializados e com conservantes. O projeto piloto da franquia nasceu em 2015, reinventou-se, padronizou os processos, redesenhou-se e retomou os planos de expansão, no primeiro semestre de 2017. Hoje segue a pleno vapor.

A essência da Saladenha é oferecer uma alimentação saudável, equilibrada, colorida e rica. O carro chefe da franquia é mesmo a salada no pote, que responde por cerca de 80% do cardápio, mas tem para os gostos: além da Saladenha – como é carinhosamente chamada a salada por lá – há também itens como o Sandubenho, a Marmitenha, entre outros. Os sucos são todos feitos com fruta congelada, não levam açúcar, e nenhum tipo de adoçante. Eles não servem café, nem refrigerante. Tudo é aprovado por nutricionistas, e as embalagens são recicláveis.

Planos de expansão

A Saladenha pretende encerrar 2017 com 10 lojas e atingir 80 unidades até o final de 2021, inclusive franqueando a rede internacionalmente. O sonho de expansão tem embasamento em números: além do modelo de negócio já ter virado um sucesso nas cidades paulistas, a Saladenha faz parte de um mercado que não para de crescer. Segundo dados da ABF – Associação Brasileira de Franchising – o segmento de alimentação faturou R$ 19,795 bilhões, no primeiro semestre de 2017. A Saladenha, especificamente, faturou em 2016 aproximadamente R$ 1 milhão. 

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Franquias de alimentação , Alimentação Saudável , Franquias de alimentos , Plano de expansão , Crescimento da franquia , Saladenha