Robô da Bavária: a nova cara da tradição

Publicado em 11/05/2016 por Luiz Marcondes

As máquinas chegaram para substituir ou complementar? Confira as inovações da Nutty Bavarian e saiba como elas impactam nos negócios de seus franqueados

Na segunda parte da entrevista com a empreendedora Adriana Auriemo (leia a primeira aqui) , focamos nossa conversa nas vending machines da Nutty Bavarian, as novas máquinas de autoatendimento que vendem amendoins, amêndoas e nozes pecan glaceadas da marca.


A rede já conta com 130 quiosques divididos em diferentes modelos, sendo que os grãos são o único produto vendidos. Mas como as máquinas entram nesse universo e qual é a logística para abastecê-las, uma vez que o produto tem que estar sempre na temperatura certa, fresquinha? Essas e outras perguntas foram respondidas pela empreendedora a seguir. Confira.  


Mapa das Franquias: Por que a Nutty Bavarian decidiu investir em máquinas de autoatendimento?


Adriana Auriemo: Percebemos que muitos lugares não tinham o fluxo necessário para que as vendas cobrissem nossos custos fixos. Eram, no entanto, locais interessantes para venda de nossos produtos. Outros locais interessantes ficam abertos 24 horas, o que também encarece demais os gastos com funcionários.


Pensamos em algo que pudesse viabilizar a venda das nossas nuts nestes locais, de uma forma divertida. A ideia não tira o emprego de ninguém, até por isso, continuaremos também com nossa expansão dos quiosques tradicionais. O que queremos é ampliar as oportunidades de locais, ou seja, colocar o robô onde não cabe um quiosque normal.


Além disso, gostamos bastante de tecnologia e queríamos testar algo novo, moderno. Quando conhecemos estes "robôs", vimos que poderia ser uma boa alternativa. Tentamos dar para o robô a cara dos nossos quiosques, pra que ele ficasse como uma máquina "humanizada". Temos os mesmos elementos dos barris e saco de juta na decoração, além da imagem de uma região da Alemanha na parte de dentro, como se o nosso "Tio Nutty" estivesse vendendo nossas nuts numa vila alemã.


Mapa das Franquias: Esse modelo também é franquia? Como funciona?


Adriana Auriemo: Ainda estamos em fase de testes, e temos algumas coisas para ajustar. A ideia é ser franquia sim, mas como um apoio ao atual franqueado .


Mapa das Franquias: Como a Nutty Bavarian abastece as máquinas? Nos quiosques os produtos são glaceados na hora. Como fica na máquina de autoatendimento?


Adriana Auriemo: Nosso projeto é fazer com que os nossos franqueados possam abastecer suas máquinas, com produtos feitos em seus quiosques tradicionais. Ou seja, as nuts são glaceadas nos quiosques e levadas ao robô, em embalagens especiais que conservam a crocância e qualidade dos grãos. O sabor, crocância e qualidade são os mesmos dos encontrados nos quiosques.


Mapa das Franquias: O mix de produtos nas máquinas é o mesmo dos quiosques?


Adriana Auriemo: Na máquina temos 3 sabores a menos. Trabalharemos com a linha "carro chefe" fixa, e com um produto rotativo.


Mapa das Franquias: Por não ter funcionário o custo dos produtos são menores?


Adriana Auriemo: Não. O custo dos produtos é o mesmo. Não temos o gasto com funcionários, mas, pelo fluxo de venda ser menor, temos que manter o mesmo preço.


Mapa das Franquias: Não vai haver concorrência para os franqueados já existentes da rede?


Adriana Auriemo: Não, a ideia é que as máquinas sejam dos próprios franqueados .


Mapa das Franquias: Como definem o raio de atuação das máquinas?


Adriana Auriemo: Cada franqueado poderá abrir máquinas na sua região, no mesmo esquema dos quiosques.


Nossa ideia é que as máquinas ajudem os franqueados a explorarem mais locais, diversificando o raio de atuação.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Franquias de doces , Máquinas de autoatendimento , Nutty Bavarian