Presidente Michel Temer prega otimismo aos empresários na sede da FecomercioSP

Publicado em 28/03/2018 por Imprensa

Durante reunião mensal de diretores, o presidente da República apresentou breve balanço de seu governo e pediu aos representantes do empresariado paulista que espalhem a atmosfera otimista

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) recebeu, nesta segunda-feira (26), o presidente da República Michel Temer durante reunião plenária mensal de seus diretores. A mesa foi composta pelo presidente da FecomercioSP, Abram Szajman; o vice-presidente da Federação, Euclides Carli; o presidente do Conselho Superior de Direito, Ives Gandra Martins; a senadora Marta Suplicy; e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Em sua fala inicial, o presidente da FecomercioSP, Abram Szajman, enfatizou as vitórias econômicas do governo Temer ao longo do curto período de tempo que está à frente do País. “Hoje conseguimos ver recuo da inflação e queda das taxas de juros, e a economia dá sinais de recuperação”, apontou. Szajman, porém, não deixou de demonstrar preocupação com o tamanho do Estado brasileiro e a demorada nas retomadas do emprego e da melhoria do bem-estar social. “A economia mostra que tem capacidade de se recuperar bem antes do que imaginamos, mas não a faz pela ainda mais rápido pela 'obesidade' do Estado. E, baseado nisso, senhor presidente, eu lhe pergunto: 'Este ciclo de crescimento nos dará o retorno do bem-estar social na mesma proporção?'”, indagou o presidente da Federação.

O presidente da República, Michel Temer, respondeu à questão mostrando as ações de seu governo no pouco mais de um ano e meio à frente do País e sua capacidade de dialogar. “Assumi o governo debaixo de uma oposição feroz e escolhi o diálogo como maior qualidade para governar. E hoje temos sucesso com o estabelecimento do teto dos gastos públicos, com a modernização trabalhista e com a coragem de tratar temas antes pouco discutidos. Tudo isso graças ao diálogo muito produtivo que estabelecemos com o Congresso Nacional e com o povo brasileiro de maneira geral”, afirmou Temer.

A coragem de propor mudanças em temas “espinhosos” foi destacada pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf, em sua fala. “Quando se contava a situação do Brasil, os investidores estrangeiros não acreditavam na gastança do Estado, na obsoleta legislação trabalhista, de meados do século passado. O senhor [presidente Temer] em menos de dois anos conseguiu viabilizar as mudanças necessárias e alterou questões que tornavam a atividade comercial no País morosa e burocrática”, apontou.

O presidente do Conselho Superior de Direito, Ives Gandra Martins, enfatizou a importância de se ter equilíbrio entre os três Poderes para que o País volte a caminhar dentro da justiça e da igualdade. “O Brasil deve ter poderes harmônicos e independentes, e fazemos um apelo para que os Poderes voltem a ser harmônicos, sem interferência dos demais agentes políticos”, afirmou. O presidente Temer concordou com a explanação de Martins e disse que o Brasil precisa passar por uma "reinstitucionalização", na qual as leis devem ser o norte para todas as relações nacionais.

Mesmo com a retomada do crescimento econômico brasileiro e de a taxa de juros alcançar 6,5%, o presidente Temer ainda vê muito pessimismo no País e pediu mais otimismo aos representantes do empresariado paulista presentes na reunião. “Estamos caminhando para um Estado muito desenvolvido, e tenho pregado o otimismo, pois não temos razão para o contrário. As disputas políticas e eleitoreiras não podem nos tirar o otimismo com o presente grandioso e com o brilhante futuro que teremos”, afirmou. Temer disse ainda que pretendia coroar seu governo com a Reforma da Previdência e a modernização tributária, mas a urgência com a segurança pública nos Estados mudou os rumos do governo. “Apesar disso, o conjunto de ações que tivemos ao longo do governo, como a instituição do teto de gastos, a modernização trabalhista, a intervenção no Rio de Janeiro e a abertura do diálogo, proporcionou a queda da inflação em 2,8%. Então, eu afirmo, sem medo de errar: o Brasil voltou. O Brasil voltou e veio para ficar”, concluiu.

Ao fim do evento, o presidente da FecomercioSP, Abram Szajman, entregou ao presidente Michel Temer um ofício com as principais bandeiras da Entidade e as propostas para melhorar o ambiente de negócios no Brasil.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Empreendedor , Economia e Mercado