Índice de Estoques cai 2,5% em setembro, mas por motivos relativamente positivos

Publicado em 22/09/2016 por Imprensa

Segundo FecomercioSP, apesar da queda na comparação com agosto, índice é 8,8% superior ao registrado em setembro de 2015

Em setembro, o Índice de Estoques (IE) alcançou os 99 pontos, queda de 2,5% em relação a agosto. A retração foi motivada, principalmente, pela proporção de entrevistados que afirmaram possuir estoques abaixo do adequado, que passou dos 13,4% em agosto para 14,3% em setembro, alta de 0,8 ponto porcentual (p.p.). Porém, na comparação com o mesmo período de 2015, houve crescimento de 8,8% no IE (quando o índice registrou 91 pontos).


Os dados são do Índice de Estoques (IE) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que capta a percepção dos comerciantes sobre o volume de mercadorias estocadas nas lojas, e varia de zero (inadequação total) a 200 pontos (adequação total). A marca dos cem pontos é o limite entre inadequação e adequação.


Além do aumento nos estoques abaixo do adequado, houve também crescimento de 0,4% no número de empresários que afirmaram estar com estoques acima do adequado, passando dos 35,5 pontos em agosto para 35,9 pontos em setembro. As duas altas ajudaram a rebaixar a proporção de empresários com estoques adequados, que caiu 1,3% no mês.


De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, a queda em setembro se deve mais ao aumento na proporção de empresários com estoques abaixo do desejado, o que não é de todo mal diante de um longo período de elevação média dos estoques e do comportamento do consumo nos últimos anos. Esse aumento indica que, ainda que não haja um grande aquecimento das vendas, a oferta e a demanda estão se equilibrando e os piores momentos estão ficando para trás. Além disso, é uma boa notícia para a indústria que, com a redução dos estoques no comércio, deve receber novos pedidos.


O quadro tende a melhorar, segundo a Entidade, na medida em que as políticas de equilíbrio macroeconômico forem implementadas. A recente definição política deve acelerar um pouco as decisões de consumidores e, mais ainda, de empresários que passam a desengavetar projetos de investimento, gerando emprego, renda e girando a roda da economia e do consumo.


Para a FecomercioSP, o Natal pode ser um marco da retomada, com resultado positivo em relação ao ano passado - algo que não ocorre em uma data comemorativa desde o final de 2013. O Índice de Estoques ainda está ruim (voltou a cair abaixo dos 100 pontos), mas a Federação ressalta que toda caminhada começa com pequenos passos e muitos sinais estão sendo dados no sentido de que o País começa a se recuperar.


Nota metodológica
O Índice de Estoques é apurado mensalmente pela FecomercioSP desde junho de 2011, com informações de cerca de 600 empresários do comércio nos municípios que compõem a região metropolitana de São Paulo. O indicador vai de zero a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total. Em análise interna dos números do índice, é possível identificar a percepção dos pesquisados relacionada à inadequação de estoques para "acima" - quando há a sensação de excesso de mercadorias - e para "abaixo", em casos de os empresários avaliarem a falta de itens disponíveis para suprir a demanda a curto prazo.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias, Crise Econômica, Pesquisas, Economia e Mercado