Emprego no varejo da Região Metropolitana de São Paulo retrocede e volta ao patamar de 2012

Publicado em 07/06/2016 por Imprensa

Segundo Entidade, em abril, número de empregados formais do setor ficou abaixo de 1 milhão pela primeira vez desde julho de 2013

A crise econômica, que se instalou por último no setor terciário da economia, vem mostrando todo seu poder de destruição de empregos. Em abril deste ano, o varejo da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) passou a empregar 996.652 trabalhadores formais, voltando ao patamar de setembro de 2012, ou seja, um retrocesso de quase quatro anos. É o que aponta estudo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).


De acordo com a Entidade, desde agosto de 2013 o comércio varejista ofertava mais de 1 milhão de vagas de trabalho (com o recorde de 1.052.259 postos em dezembro de 2014) na RMSP. O resultado dos últimos meses pode ser explicado pela falta de confiança, de investimentos, recuo dos financiamentos, retração do PIB e desequilíbrio macroeconômico, com enorme déficit fiscal e inflação acima da meta por muito tempo.


A assessoria econômica de FecomercioSP ressalta que tudo isso fez com que o varejo, somente nos primeiros quatro meses deste ano, fechasse quase 29 mil empregos com carteira assinada na RMSP. Infelizmente não há perspectivas de recuperação no curto prazo, mas, por outro lado, aparentemente os piores momentos estão ficando para trás e existe a possibilidade de que se estanque o problema. Não vai haver melhora rápida, mas parece que ao menos vamos, gradativamente, parar de piorar.


Varejo, Atacado e Serviços
Outro marco negativo foi atingido no mercado de trabalho dos setores de Varejo, Atacado e Serviços no Estado de São Paulo. Segundo a Federação, em março, pela primeira vez desde março de 2013, o estoque total de trabalhadores formais no setor de comércio varejista, atacadista e serviços paulista ficou abaixo de 10 milhões. O número de empregados com carteira assinada no comércio varejista ficou em 2.083.311 (valor 3,3% inferior ao de março de 2015); no comércio atacadista, em 495.267 (4% menor do que em março de 2015); e no setor de serviços, em 7.419.744 (queda de 2.2% em relação a março de 2015).


Com isso, o comércio varejista, atacadista e o setor de serviços empregaram, juntos, 9.998.322 trabalhadores formais em março de 2016, ante 10.258.265 no mesmo mês de 2015.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Crise Econômica , Pesquisas , Economia e Mercado