Crise? Invista em motivação e treinamento

Publicado em 28/09/2015 por Luiz Marcondes

Essa é a receita da rede de franquias de calçados que aposta em fugir da mesmice em todos os sentidos – dos produtos à maneira de encarar as dificuldades econômicas. Saiba mais

A Outer Shoes, rede de calçados femininos e masculinos que tem 21 lojas, aposta em diferenciais. Buscando fugir das tendências da moda seguidas pela maioria das marcas de calçados, a franquia tem conquistado um público fiel nas faixas A e B. Suas lojas são sofisticadas, porém com elementos simples e da natureza, dentro de um conceito de “jardim urbano”. Essas lojas compactas, com medidas a partir de 30m², requerem um investimento de R$ 330 mil, com faturamento médio de R$ 150 mil mensais e lucratividade que chega a 14% para o franqueado.


E os números animadores não param por aí: presente nas cidades de Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Goiânia, João Pessoa, Niterói, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo, a Outer faturou R$ 25 milhões no ano passado. Mas e quanto a este ano, marcado pela crise econômica?


Conversamos com Felipe Lamin, diretor de expansão da Outer Shoes, para saber como a rede se defende e planeja crescer – isso mesmo, crescer - em meios às dificuldades de um período desafiador.


Mapa das Franquias: Como encantar o cliente em tempos de crise?
Felipe Lamin: É fundamental se aproximar do cliente e se manter fiel aos seus valores, comunicar de forma consistente seu conceito e manter o curso mesmo em um momento turbulento. Cada marca tem uma força, tempo e energia próprias e devem ter cuidado, principalmente em momentos de crise, para não perder o rumo devido a pressões externas. Ações conectadas ao seu conceito, inovadoras e importantes são a chave para se destacar da massa que, em vários momentos, recorre a remarcação de preços nesta época.


Mapa das Franquias: Dá para manter uma equipe motivada mesmo com tantas manchetes ruins na mídia? Como?
Felipe Lamin: A gestão deve permanecer ao lado da equipe, monitorando e auxiliando cada indivíduo. Ajudando cada um a lembrar seu objetivos e como pretendem alcançar, nestas épocas é fácil esquecer seus propósitos e se deixar levar pelo humor de terceiros. Só conquistará resultado aquele que olhar por cima da neblina de tensão e entender que acompanhar as notícias não trará benefícios sem foco e esforço em seu trabalho. Ninguém é capaz de escolher em que tempo viverá, mas sim o que fazer com o tempo que lhe foi dado. Use a experiência de quem já superou uma crise e transmita que existe vida depois dela.


Mapa das Franquias: Como é feito o treinamento?
Felipe Lamin: Esse treinamento é continuo e constante. É feito em toda a rede envolvendo cada funcionário, do topo da hierarquia e descendo até o último funcionário. Não só na crise mas constante, na crise se vê como óbvia a necessidade mas na verdade é sempre vital. Esse treinamento é feito todos os dias informalmente, e semanalmente relembrado em reuniões, não há como perder tempo e não acompanhar em espaços cada vez mais curtos de tempo. O custo de manter uma equipe desmotivada por algumas horas é algo que não pode ser arcado em um momento de crise.


Mapa das Franquias: O que define uma “equipe afiada”? Como a equipe afiada transforma a dificuldade em venda?
Felipe Lamin: A “equipe afiada” reúne alguns pontos básicos que podem ser vistos em todas equipes de alta performance. Sem exceções elas acreditam no potencial da marca e da empresa onde estão, são bem treinadas, motivas e tem objetivos claros, além de conhecer e entender as necessidades de seus clientes. Em uma crise é comum experimentar momentos de queda no fluxo de clientes no ponto de venda, e equipes afiadas são capazes de diminuir esse impacto conhecendo seus clientes e utilizando isso para conseguir realizar vendas. Trabalhar com mais afinco o contato com seus clientes, de forma inteligente, oferecendo produtos de acordo com suas necessidades como: modelos específicos, tamanhos especiais, similares aos suas compras e etc. Equipes assim são capazes de superar esses momentos.


Mapa das Franquias: Há previsão de crescimento apesar da crise? Quanto?
Felipe Lamin: Mesmo enfrentando uma crise algumas lojas encontram maneiras de superar e crescer. Seja alterando sua dinâmica, modernizando suas ferramentas ou se aprofundando no estudo de seus clientes, em alguns casos obtivemos crescimento de 9%.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Gestão de franquias , Outer Shoes