Como gerir a inadimplência de clientes para manter solidez da franquia?

Publicado em 14/03/2016 por Rosana Fernandes

A inadimplência é um risco presente em todos os tipos de negócios, mas com a gestão correta e inteligente pode ser minimizada para manter a solidez e lucratividade da sua franquia.

A inadimplência é um risco presente em todos os tipos de negócios que não dá para eliminar completamente, mas com a gestão correta e inteligente pode ser minimizada para manter a solidez e lucratividade da sua franquia.


Um dos primeiros passos e prática utilizada largamente por todos os empresários é a realização de análise de crédito do cliente. Para isto, basta realizar as consultas aos sistemas do SPC e SERASA, mas apenas isto não garante baixas taxasa de inadimplência, especialmente nos tempos de hoje.


Além desta prática, outra forma de prevenir prejuízos é concedendo crédito aos clientes de forma escalonada, iniciando pela concessão de valores baixos e ir aumentando gradativamente como recompensa aos bons pagadores.


Como gerenciar após o início da inadimplência


As dicas anteriores são ideais para o início da relação com clientes, mas após a concessão de crédito, especialmente nos tempos atuais onde o cenário vem favorecendo os atrasos de pagamentos, é preciso investir em outras estratégias de gestão de inadimplência como:


Prioridade de meios de pagamento


Em geral, as formas de pagamento que ajudam a evitar “calotes” de clientes são através do pagamento de cartões de débito ou crédito. Mesmo com a cobrança das taxas de administração, ainda assim é vantajoso investir nestes meios de pagamento.


Análises e documentação


É importante sempre analisar o crédito ,e histórico do cliente, especialmente em compras com valores mais elevados. Para grandes encomendas, não deixe de documentar tudo através de contratos e garantindo a emissão de nota fiscal, pois em casos extremos, estes documentos permitirão o acionamento na justiça.


Negociações


Tome cuidado para não ultrapassar as regras de cobrança e negociação previstas no código de defesa do consumidor, por isto, um processo sempre deverá ser a última saída e recurso a ser empregado. Como previsto no Art. 42 do código, não submeta o cliente a nenhum tipo de constrangimento para não aumentar seu prejuízo dando margem para outros questionamentos por legais por parte dele.


Procure seguir recomendações como:


- Não demore a iniciar o processo de cobrança, indique ao cliente o atraso e se disponha a ajudá-lo
- Mostre cordialidade, educação e boa vontade durante o processo de acordo
- Ouça as justificativas pelo atraso e sempre que possível adicione estes dados à ficha do cliente
- Solicite garantias e uma contra proposta clara do cliente


Recorrendo à justiça


Com todas as medidas anteriores tomadas e ainda assim com o atraso crescente, pode ser que tenha chegado a hora de recorrer judicialmente. Neste caso, cheque cuidadosamente as questões legais antes de acionar o cliente na justiça.


Não deixe de notificá-lo sobre a ação que será tomada se ele permanecer em atraso e neste processo de notificação, dê um prazo justo para que ele consiga realizar o pagamento, por isto, tenha as etapas da política de cobrança bem definidas, com prazo, tentativas de contato e número de propostas de acordo a serem feitas antes deste processo.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Gestão de franquias , Crise Econômica , Economia e Mercado