Com promessa de rápido retorno, sistema de franquias faz sucesso entre investidores

Publicado em 15/05/2019 por Imprensa

Algumas marcas estimulam prazo de até seis meses de payback

Respaldo (diário) e know-how. Esses são os grandes atrativos do franchising. As vertentes são responsáveis ainda por promover a ação - talvez - mais esperada por quem investe em um negócio: o retorno do investimento. O conhecimento de mercado e dos segmentos de atuação adquiridos pelas marcas são transferidos ao franqueado, possibilitando assim, com que este colha, em pouco tempo, os custos pela aquisição de sua unidade.

Não há uma regra, cada negócio tem seu tempo de payback (tempo decorrido entre o investimento inicial e o momento no qual o lucro líquido acumulado se iguala ao valor desse investimento), porém a variável é acentuada entre 24 e 36 meses. O retorno é influenciado por diversas variáveis e pode tanto acontecer pouco mais de um mês, quanto um pouco depois dos três anos.  Geralmente, as redes fornecem esta informação com base nos valores de investimento inicial e do resultado projetado para a operação. A taxa de franquia e o capital de giro também pode fazer parte do cálculo. O ponto comercial não entra, já que é considerado mais um desembolso do que um investimento.

Payback adquirido bem antes do prazo

Jean Marcos Colaço, 25 anos, por exemplo, levou seis meses para atingir seu payback. O empresário adquiriu uma unidade da Gigatron Franchising (franquia especializada em software para gestão) em junho de 2017, em sua cidade, Irati (PR). Ele investiu R$10 mil. O prazo de retorno pela franquia é baseado em até 12 meses, mas ele conseguiu na metade do tempo.

“Na cidade onde resido, possuo uma boa influência com comerciantes e contadores, e isso colaborou para os meus resultados. Em pouco tempo, comércios da cidade já operavam com os sistemas da unidade, e em seis meses recuperei todo o investimento realizado”, comenta.

Jean revela que para investir na franquia, ele usou o valor do acerto que teve na empresa em que trabalhava anteriormente e pegou mais uma quantia emprestada de um amigo. A ação permitiu com que ele obtivesse de cara uma renda, e ainda, quitasse sua dívida. O jovem empreendedor conta que inicialmente começou sozinho e de forma Home Office. O começo, segundo ele, não foi muito fácil, mas por ter estudado e trabalhado no setor de tecnologia, as “coisas” foram se ajustando e, junto à franquia, começou a crescer gradativamente. Tanto que, ainda neste ano, o franqueado está planejando a abertura de um escritório. “Para 2019 e 2020, já com um local físico em operação, nossa projeção é atingir toda a região centro-sul do Paraná, e elevar o faturamento da unidade em mais de 300% do que é atualmente”, finaliza.

De bancário à empresário

Com a carreira profissional estabilizada em um dos maiores bancos do Brasil, Marcos Fernandes Machado, 28 anos, se desligou da empresa para abrir o próprio negócio. Os quatro anos trabalhando no meio de transações financeiras, fizeram da afinidade com os números, o estímulo para ser seu próprio chefe. Marcos investiu em uma unidade do Banneg - Banco de Negócios no fim do primeiro semestre do ano passado, e logo no início de 2019, bons frutos já estavam sendo colhidos. 

“No começo do ano, com as vendas realizadas já tínhamos uma estimativa de recuperação de capital com os valores que entrariam em breve. Como eu já era conhecido por vender esses produtos no banco, fui atrás dos clientes potenciais e conseguimos conquistar a confiança de que estavam fazendo um ótimo negócio com os produtos oferecidos pelo Banneg, contou.

O Banneg atua no mercado com dois modelos de negócios, loja física, com investimento inicial de R$41.900, e o home office, com investimento inicial de R$31.900. Marcos optou pelo segundo.  

Para ele o ótimo desempenho de sua unidade vem acompanhada de muito “suor e trabalho”. “No começo tudo é difícil, mas sabia que tudo dependia de mim para conseguir o resultado esperado. A aceitação na cidade é o maior desafio, mas trabalhando com competência e seriedade, e contando com o respaldo de bons profissionais da franquia, conseguimos mostrar o nosso trabalho”, finalizou.

Microfranquias

Para quem estabelece o rápido retorno como um pré-requisito para aderir o próprio negócio, as microfranquias (investimento de até R$90 mil) se apresentam como um ótimo caminho. Um estudo da Associação Brasileira de Franquias (ABF) mostrou que 61% das redes de franquias atuantes no Brasil estimam um prazo de payback entre 18 a 36 meses. Enquanto que, para 41% das microfranquias ou franquias de baixo custo, esse período de retorno diminui para um período entre 6 e 12 meses.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias de serviços , Gigatron , Banneg