Brasileiros gastam R$ 6,6 bilhões por ano com brinquedos e jogos

Publicado em 06/10/2015 por Imprensa

Apesar da expressividade de consumo no setor, a expectativa da Entidade é que o Dia das Crianças apresente queda na comparação com 2014

Os gastos das famílias brasileiras com brinquedos e jogos chegam a R$ 6,6 bilhões por ano. É o que aponta estudo inédito da Federação do Comércio de Bens, serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base em dados da última Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2008/2009) do IBGE.


A proximidade do Dia das Crianças movimenta o comércio varejista, concentrando boa parte dos gastos da população neste setor. Apesar de não poder avaliar o peso exato das compras no período, é possível observar a proporção do consumo entre as classes sociais.


A classe C tem um gasto médio de R$ 122 com brinquedos e jogos, sendo o total de R$ 3,8 bilhões, o que corresponde por 59,2% das famílias brasileiras. Já as classes A e B, que representam 27,6% dos consumidores, somam R$ 1,8 bilhão, gastando em média R$ 431 e R$ 253, respectivamente. Por outro lado, 13% são destinados às classes D e E que consomem mais de R$ 860 milhões e tem ticket médio de R$ 47 e R$ 27.


Para os economistas da FecomercioSP, embora os números sejam expressivos, a expectativa de vendas para o Dia das Crianças tende a ser semelhante às demais datas comemorativas de 2015, e deve registrar queda na comparação com o ano passado. O faturamento do comércio varejista tem projeção de queda em outubro de 10% em todo Brasil, enquanto no Estado de São Paulo esse recuo pode alcançar 12%.


De acordo a Federação, o cenário da economia brasileira em outubro é composto por taxa de desemprego em alta, juros bastante elevados e o consumidor extremamente conservador, evitando assim o endividamento e privilegiando o consumo de bens e serviços indispensáveis.


Outro fator que pode explicar a expectativa negativa do comércio é sinalizado pelo indicador de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) da FecomercioSP. O índice registrou em agosto, a décima queda consecutiva e atingiu o pior nível histórico desde janeiro de 2010, passando de 107,9 em 2014 para 70 pontos este ano.


Brinquedos mais caros
A forte presença de itens e componentes importados, bem como o aumento geral do custo de produção e comercialização, pode explicar a alta de 8,24% dos preços dos brinquedos no acumulado em 12 meses até agosto, segundo dados nacionais do IPCA. Em São Paulo, a alta foi ainda maior, de 10,42%.


Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, os eletrônicos e brinquedos importados ainda podem ser afetados pela escalada recente do dólar, o que elevaria ainda mais os preços de presentes para o Dia das Crianças. Logo, deve haver recuo tanto das vendas como do valor médio do presente.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias, Franquias de brinquedos, Crise Econômica, Dia das crianças, Economia e Mercado