A margem nos restaurantes e as entrelinhas dos dados no mercado

Publicado em 12/06/2015 por Adriana Vizzone

Ao escolher uma franquia muitas consultorias e especialistas dizem que uma boa forma de conseguir informações sobre as marcas é conversar com franqueados e ex-franqueados. As franqueadoras são obrigadas a passar informações sobre eles na COF (Circular de Oferta de Franquia). A COF, por sua vez, é entregue ao candidato a franqueado com antecedência de pelo menos 10 dias da data de assinatura do contrato.


Por que falar com franqueados? Para ver se ele fatura o que a marca diz que é possível faturar, pra saber se o treinamento é adequado, se o lucro vale a pena e se ele está feliz com o negócio. Ótimas perguntas, não é? Mas você já tentou falar com um franqueado? A gente já, sem sucesso. É super difícil. Nos apresentamos como imprensa (equipe do Mapa das Franquias) e ninguém dá informação alguma sem consentimento do franqueador.


Por que essa introdução? Para você saber que, se não conseguir falar com os franqueados, deve ao menos analisar bem o mercado antes de embarcar em qualquer negócio. Vamos ao exemplo prático, que a gente adora:


1. Reportagem de hoje do jornal Valor Econômico mostra uma redução de 8,39% no faturamento de bares e restaurantes no primeiro trimestre deste ano, em relação ao último trimestre de 2014. Os dados são da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). A pesquisa começou a ser feita no final do ano passado, então não tem como compararmos períodos iguais de anos anteriores. 669 empresários responderam ao levantamento. 35% empresas alegaram que a rentabilidade ficou entre 0% e 5% no primeiro trimestre.


2. Reportagem da Exame do dia 10 tem como título: "Franquias de alimentação esperam crescer 10%, diz ABF". Vamos aos números. A pesquisa compara 2013 com 2014 e aponta a expectativa para 2015. Quantas marcas responderam? Apenas 73. Os 10% esperados se referem ao faturamento. 55% da amostra esperam um crescimento para 2015 maior que o obtido de 2013 para 2014. São eles (por tipo de culinária): brasileira, japonesa, variada, pizzaria, sorveteria e outros. Os que esperam um crescimento menor: cafeteria, cervejaria, italiana, doceria/boleria, peixes/frutos do mar e sanduíche.


A pesquisa da Abrasel mostra resultados deste ano, a da ABF resultados esperados para este ano. A amostra da ABF não é aleatória, os respondentes são parte dos associados (28%). Falar que franquias de alimentação esperam crescer 10% é superestimar uma amostra não representativa do universo e subestimar o cenário econômico atual. Compare os dados existentes e tire suas conclusões.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias, Franquias de restaurantes